sexta-feira, 3 de junho de 2016

SEGURANÇA PRA TROPA: Ministério da Justiça entrega 12,6 mil coletes para mulheres policiais


Ministério da Justiça entrega 12,6 mil coletes para mulheres policiais
A Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça (Senasp/MJ) adquiriu, pela primeira vez no Brasil, coletes balísticos específicos para mulheres policiais. Mais adequados às medidas femininas, os 12.600 equipamentos de proteção individual estão sendo entregues às Polícias Militares e Polícias Civis dos 26 estados do país.

"Esses coletes foram encomendados pelo Ministério da Justiça considerando a necessidade de equipar as mulheres que, cada vez mais, atuam em atividades policiais e hoje utilizam coletes com dimensões para homens. O novo modelo tem bojo para os seios e é 20% menor e mais leve que o masculino, para se adequar à anatomia feminina, mas sem perder capacidade de proteção", explica a secretária nacional de Segurança Pública, Regina De Luca Miki.

Ainda de acordo com a secretária Regina, a distribuição já foi feita às polícias do Acre, Amapá, Amazonas, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco e Paraná. “Foram enviados coletes prioritariamente àqueles estados que tinham menos coletes em relação ao número de policiais mulheres. Ainda no mês de maio deveremos entregar aos demais 14 estados", explicou Regina.

114 mil coletes

Ao todo, a Senasp/MJ, está adquirindo 114.000 coletes para homens e mulheres que integram as Polícias Militares e Polícias Civis de todo o Brasil, além da Força Nacional de Segurança Pública. Os investimentos são procedentes do Fundo Nacional de Segurança Pública e da Estratégia Nacional de Fronteira. 

O quantitativo de coletes destinado a cada estado foi estabelecido a partir de consulta aos estados e na Pesquisa Perfil das Instituições de Segurança Pública, que traça quadros sobre a situação de efetivo, equipamentos e outros pontos relativos aos órgãos policiais e também de perícia e bombeiros. O Distrito Federal, cujo número de coletes estava em condições adequadas, foi a única unidade federativa que não precisou de reforço no estoque de coletes.

AOPM - BA